talvez hoje eu partisse

                   subtraindo corpo a um espírito

                                             vago.

 

                        mas, inda antes, teria dito

                                         mesmo mudo

                                                  tudo

                                                     em vozes de afago.

 

                         inda bem antes, pela última vez

                                      meus dedos seriam pentes

                             em teus  cabelos para que, de repente

                                        você sorrisse, talvez.

 

                                  quem sabe mesmo hoje eu me vá

                                          afinal, envelheço

                                       sou natural

                               como orvalho formando bolhas

                          mas que não serão de água

                                serão lágrimas

                                         e meus olhos

                                                      as folhas.

Anúncios

1 Response to “”


  1. 1 ofelia 21 d e abril d e 2009 às 02:04

    Não deve ser fácil envelhecer sorrindo, até porque não é simples envelhecer… alguém já se acostumou a envelhecer… Mandou bem Tiago:)


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Curta!

São dez palavras, secas, escritas. Se dizem caladas, digo egoístas

Ora, por que?

Muitos de nós vivemos em busca de alguns significados, porquês. Explicações para o que sentimos, desejamos, ou até porque as vezes sorrimos e choramos. Por isso, textos científicos e autoajudas, cheios de porquês, são escritos para nos confortar e fazer parecer que, para tudo, existe para tudo um porquê.
Diante desses complexos, a poesia é mais simples. Ela não tem significados, porquês. Ela é como o amor que sentimos e não sabemos explicar porque, simplesmente, não há um porquê. A poesia é apenas sentimento passageiro, um desenho irresponsável com as palavras que sai da cabeça, corre pelo papel e alí fica. Alí fica sem sabermos porquê.

Quem

Tiago Ribeiro é estudante de jornalismo e vive sob a liberdade da música. Não acredita no dinheiro como fonte de felicidade e em pessoas que não o olhe nos olhos – acredita nas crianças. Dorme pouco para viver mais, e acorda cedo para ver o sol.

O que é Haikai?

O haicai é um pequeno poema composto por três versos, surgido no Japão do século XVI. Na escrita do poema em português, aceita-se de 17 à 21 sílabas.

O que passou…

Contato

tiago.ribeiros@terra.com.br

%d blogueiros gostam disto: