Arquivo para janeiro \31\UTC 2009

               It’s perfect,

                  a life without

          hits of defects

when the man forget the man

and love the animal

 

                   …ou esquece de ser bicho

                              selvagem e urbano,

                          protegendo seu filho

como animal em pele de ser humano.

Anúncios

Sem nexo,

         a chama da dança,

  de corpos que transam,

             chama-se sexo.

Queria escrever

         mandar carta, dizer

         “vivo não posso

                     estar

                         no

                        céu

                     com

                 você”


Teu rosto,

num agosto, é pálido

        e  por meses

   por desgosto,

                               des

                                        maio…

Belo como sonho e, fato, é isso:

                                               fujo do lago,

                                  fecho meus olhos

                                                lembrando Narciso.

acorda sozinho,

                 do ninho,

      aprenda a voar

e vá, pro ar passarinho

                  e

                       va

                              po

                                       rar…

    Desespero

              desespero meu,

        existe deus belo

          a espera dum ateu?


Curta!

São dez palavras, secas, escritas. Se dizem caladas, digo egoístas

Ora, por que?

Muitos de nós vivemos em busca de alguns significados, porquês. Explicações para o que sentimos, desejamos, ou até porque as vezes sorrimos e choramos. Por isso, textos científicos e autoajudas, cheios de porquês, são escritos para nos confortar e fazer parecer que, para tudo, existe para tudo um porquê.
Diante desses complexos, a poesia é mais simples. Ela não tem significados, porquês. Ela é como o amor que sentimos e não sabemos explicar porque, simplesmente, não há um porquê. A poesia é apenas sentimento passageiro, um desenho irresponsável com as palavras que sai da cabeça, corre pelo papel e alí fica. Alí fica sem sabermos porquê.

Quem

Tiago Ribeiro é estudante de jornalismo e vive sob a liberdade da música. Não acredita no dinheiro como fonte de felicidade e em pessoas que não o olhe nos olhos – acredita nas crianças. Dorme pouco para viver mais, e acorda cedo para ver o sol.

O que é Haikai?

O haicai é um pequeno poema composto por três versos, surgido no Japão do século XVI. Na escrita do poema em português, aceita-se de 17 à 21 sílabas.

O que passou…

Contato

tiago.ribeiros@terra.com.br